quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Minha vida por mim - Onde tudo começa...

Querido diário...

Na verdade eu não saberia dizer se é tão querido assim. A necessidade de guardar minhas memórias num pedaço de papel não me agrada muito. Não tenho filhos. Tenho 20 e poucos anos e alguns amigos. Ultimamente tenho me sentido estranho, e por isso resolvi declamar minha vida a alguém, que por ventura venha a ler.

Gosto de escrever sobre amor, mas não tenho certeza se minha vida foi alguma vez tocada por tal sentimento. Quisera, que nesse momento uma mão para me acariciar, e vingar meus medos e minha solidão. Acho que dessa forma teria eu, mais liberdade e jeito para rabiscar algumas palavras...

"Hoje acordei me sentindo solitário. Uma pequena dor insistia em pulsar na cabeça, como se viesse de meu inconsciente, alertando-me para um dia nada agradável. A festividade de ontem, comemoração de Natal, não foi nada do que imaginava. Levemente embriagado por sentimentos egoístas fiz de meu dia, nada mais do que triste e tolerável.

Foi então, ao tomar uma xícara de chá, lembrei que havia pensado em pular. Se me lembro bem, estava no décimo sétimo andar. Com bermuda e tênis branco... olhando o arco-íris perfeito que se formou no horizonte. Confesso que buscava em meus pensamentos motivos demasiadamente óbvios para não fazer tal besteira.

O tempo parece me levar a caminhos tão incertos quanto meus sentimentos. É como tentar adivinhar em que lugar do mundo cairá a última gota de orvalho. Uma vida sem beira nem eira... cheia de dúvidas e promessas. Clichê como os finais felizes... será, que realmente é assim que gostaria que fosse?

Nada além ou mais que dúvidas."

E é assim que o meu diário Minha vida por Mim começa... tímido e regulado. Nunca saberemos como estaremos no próximo dia, não?!

Que falta de educação a minha... escrivinhando cá com meus botões, esqueci de me apresentar àqueles que por intermédio do destino serão meus leitores, críticos, inimigos ou irmãos... Só quero que aqui, me conheçam por Solidão.

5 comentários:

Ana Lídia disse...

Na solidão, tentamos nos decifrar: conhecer os próprios sentimentos e entender atos...

Thá disse...

Ah, a vida é mesmo incerta, e talvez seja essa sua maior graça!! ;)
o que muda tudo é nosso modo de ver as coisas, sabe aquela história dos dois homens que olham pela janela, e um vê o céu azul e o outro a poça de lama?


POIS É! o que vc vê??

Ermílha disse...

solidão brother?
bom
estou também, só que eu tenho um cachorro.
=* eu te tenho no mais alto nivel de estima possivel, meu único amigo e infancia!

Ludmilla Balduino disse...

Se a solidão pular, deixe que ela caia!
E pode comentar quando passar pelo meu blog! Ele está reativado e é atualizado diariamente!
Beijo, saudade

Ana Lídia disse...

É, Renato...
Acredito que o frio faz com que nos aproximemos de nós mesmos.