domingo, 23 de dezembro de 2007

O que não é para ser lido #1

Acho que não me entendo, desse jeito meio boêmio. Embriagado pelos ares da vida e da desilusão, não consigo seguir os mesmos passos que meu coração. As coisas vão saindo fora do rítimo, fora da borda e fora da boca... e mesmo naquela última gota parece não ter mais solução.

É aí que espero ficar perto daquilo que acho certo. Os passos tortos procuram o caminho entre meus gênios e complexos. E então eu sinto leveza, igual a de alguém que não tem a obrigação de responder algo que não lhe foi perguntado.

Por isso o amanhã está mais próximo do que possamos imaginar. As mágoas, as dores, as pessoas, as feridas, as alegrias e os temores fazem da energia do universo a criação de meus amores. Tudo aquilo que é difícil e misterioso, um pouco de tudo, um pouco de mim.

A verdade é que quero poder um dia flutuar e saber que as coisas só dependem de mim para darem certo. Tão simples quanto belo. E da mesma forma que somente eu gostaria de querer...

Um comentário:

Anônimo disse...

Nossos desejos só dependem de nós. Sempre. É só querer com um pouco mais de força, que dá certo =D