domingo, 4 de novembro de 2007

Sweet dreams are made of...

Sentados a beira do precipício o silêncio finalmente fora cortado:

- Oi. - Disse apreensivo.
- Oi.

- Vou contar pra você, uma pequena história, pode?
- Claro. - Afirmou.

- Então... (pigarreou) não importa o quão longe esteja a estrela, o seu brilho continuará a se fazer no infinito do universo, testemunhando laços de amor e amizade, sorrisos e tristezas e as vezes até cortejando a almas daqueles que tiveram a oportunidade de notá-la na vastidão azul do céu (desse aqui, apontou)... e que mesmo depois de morta (silêncio)... sua essência durará a importância que for dada a ela.
- Hum... e por que só agora você me conta isso?

-Bem... - Recuou - Achei que poderia te conquistar.
-De novo? - Incisiva.

-Sim, de novo...
-Que pena. Meio difícil agora...

-Mas por que? - Preocupado.
- Onde estou, não posso ser conquistada. É muito frio e dolorido. Pequeno e triste.

-E que lugar seria esse?!
- Aqui seu bobinho... - aponta para o coração de outrem.

-Mas, e todas as palavras bonitas que disse a você!?
-Continuarão no mesmo lugar, em seus pensamentos, até eu deixar de existir em seus sonhos.

-...
-...

*Silêncio. O vento roçava em suas pernas... logo ali... a beira do precipício.

Um comentário:

thais :) disse...

Meu coração ficou metade de um amendoim agora, nem sei o que falar..