sábado, 29 de dezembro de 2007

Agradecimento aos Pais e aos Ausentes

Bem, com todo esse espírito natalino e de ano novo, coloco aqui, o texto que fiz para o culto ecumênico de minha turma (Comunicação Social 2007 - UFG).


Agradecimento aos pais e aos ausentes

Amor. O sentimento mais nobre entre as pessoas permeava também até pouco tempo, as brincadeiras que os pais inventavam em momentos de carinho e ternura, onde passavam toda a vontade de fazer feliz a sua cria. Mesmo com cara de joelho, papai e mamãe tinham como únicos e perfeitos nós, seus respectivos filhos.

Muitos de nós, formandos, temos a idéia de como foi árduo, trabalhoso, gratificante ou até desafiante para que estivéssemos aqui hoje. Fica na lembrança os olhos experientes de minha vó, que me seguiam atentamente pelos ramos de amora que se espalhavam pela cerca da casa, como se dissessem e quisessem que “esse pequeno pedaço de vida fosse muito feliz”.

Lembro-me também, apesar de muito pequeno, a superação de minha querida mãe ao tentar fazer pela primeira vez um mingau que não fosse sólido, de meu pai ao tentar se fazer presente mesmo pela grande distância que nos separava e assim eu posso dizer, hoje, que como os demais colegas, nos sentimos amados e realizados.

Por isso o espaço e tempo ganharam novos significados. Seja na alma, no coração ou em nossas vidas, a premissa é verdadeira. A companhia independe de condições físicas para ser sentida e agraciada. Mesmo por aqueles que já se foram, que com certeza estão nos regendo com muito afinco emanando toda energia positiva. E queremos que não se esqueçam, sempre amaremos vocês.

Apesar do “Boi da cara preta”, a sensação de segurança nos protegeu das demais adversidades que encontramos no decorrer de nossas vidas. Ora no mertiolate ou mercúrio-cromo quando eram passados em nossos machucados, ora num momento de travessura quando colocávamos fogo ou quebrávamos alguma coisa ou até mesmo nos rabiscos que fazíamos nas paredes ou móveis de nossa casa.

De rabisco em rabisco olha só onde fomos parar?! Não poderia ser a melhor hora para retribuir tudo que vocês, seres divinos e mais que perfeitos, nos ajudaram a conquistar. A profissão que escolhemos, com um olhar bem ecumênico, é abençoada por Deus. Deve existir algo realmente divino na escolha, que nos faz encarar os baixos salários, quando não atrasados, a insegurança do mercado e até ameaças por exercer o ofício de forma mais honrada possível. Ainda bem que vocês sempre estiveram conosco.

É claro que existe o Pai maior. O amor sublime e incondicional é igualmente emanado a todos. Independente de alguma religião ou crença, as energias positivas que permeiam o universo favoreceram para que tivéssemos as melhores famílias presentes aqui hoje. Por isso não poderíamos deixar de agradecer a Deus por mais essa conquista.

É importante lembrar que não são somente pai e mãe, aqueles que nos trazem ao mundo. Vovôs, vovós, irmãos e todos aqueles que conseguem transferir todo o cuidado e afeto desempenham um papel importante na vida de qualquer pessoa. É por isso que esse momento é dedicado também a todos que se esforçaram para que tivéssemos a oportunidade de ajudar outros seres, continuando o ciclo de boas atitudes e perseverança.

Graças a vocês concluímos mais uma etapa em nossas vidas. Temos agora toda força para encarar os desafios que surgirão, chorar as tristezas e viver as alegrias. Podemos então, terminar esse agradecimento com o sentimento que, qualquer momento que olharmos para os lados, não só uma, mas várias mãos estarão estendidas para nos auxiliar.

Muito obrigado,

A Deus, as famílias e a todos que estão aqui presentes;

Renato Cirino

Um comentário:

Alinny disse...

legal, estou pesquisando mensagens para elaborar a da minha formatura e gostei demais da sua mensagem..e vc é de goiania! hehehehe..

beijos e parabens!