sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Chegou a Primavera - Meu primeiro mês...

Irlanda, Donegal - Novembro de 2009

Antes de qualquer coisa gostaria de dizer que te amo. Pode parecer estranho, ainda não te conheço, mas já te amo. Sempre imaginei como seria... você pegaria essa carta, coisa que quase ninguém mais faz é escrever cartas, e a leria com olhos pequeninos e sabidos. Imagino o sorriso e a astúcia ao devorar cada palavra que envio a ti.

Chegou a primavera e com ela as flores e nuances que nos permitem brincar com o imaginário. Com ela também chegou você e todos as indagações, dúvidas, choros, sorrisos, certezas e incertezas que poderiam me cercar... claro que te vejo como uma das melhores coisas que poderia ter acontecido comigo. Fecho os olhos e me vejo, bem.

Em meus sonhos nada poderia ser diferente, e por isso as coisas simples me conquistam. Digo que cansei de ser triste, amassar as flores e até mesmo jogar as palavras ao vento. Pego-me pensando, como alguém poderia mudar tanto a vida de outra pessoa? É por isso, que hoje, tenho a certeza que cansei de ser triste. Devo isso a você, devo a mim.

Então, quero fazer de minha primeira mensagem uma das mais bonitas. Daquelas em que você se orgulharia e lembraria do momento para todo o sempre. As paisagens de Donegal me fazem lembrar a perfeição onde a natureza age. E por isso tenho certeza das lindas curvas e traços que a você foram dados pelo universo, coisas que nunca saem de meus pensamentos.

No apito do trem meus pensamentos se perdem. Queria me desculpar pela letra tremida, é que realmente não sou um bom equilibrista, ainda mais sem apoio para escrever. Não tenho pressa que vá me entender, mas gostaria que tivesse a certeza, que mesmo com a distância, eu tenho milhões-de-infinitos-de-tempos-de-dolares-mega-ultra amor por você. Amo infinitamente.

PS.: Comprei um chocolate Irlandês e espero muito que goste.
PS2.: A terra molhada me deixa com saudades, não deixo de imaginar seu cheiro... um arco-íris se desponta ao norte, e com todas aquelas cores não deixo de imaginar seu sorriso.

4 comentários:

Uma vencedora disse...

Renatim,

Simplesmente LINDO!!!

Amei o seu poema, carta, declaração... Me faz lembrar o grande é um sentimento que insiste em morar e mim, que nunca poderá ser vivido!!! O seu tempo já passou!!!

Muito lindo mesmo, parabéns!!!

Bjs

Janaína

Ana Flávia Alberton disse...

Palavras de amor têm a sua beleza independente se escritas com letras torneadas ou rabiscadas em papel de pão. É incrível essa capacidade que o amor nos dá: saber antes mesmo de saber, de amar previamente.

Não há comentários, todas as palavras soariam ocas próximas à beleza de tudo o que já foi dito nesta carta/declaração/desabafo.

=*

Anônimo disse...

Adorei esse!
É leve, como poucos dos seus.
Parabéns!!!!

marília disse...

não sei se é uma coisa nova pra você, uma descoberta.. mas acabei de descobrir que você se superou nesse estilo "correspondências", tá aí sua melhor escrita. gostei muito mesmo! e eu escrevo cartas, não consigo não escrever cartas! sou uma raridade! hauehuaeh