domingo, 13 de janeiro de 2008

Minhas chuvas e lembranças - Cartas de um caçador de estrelas

Em algum lugar chuvoso, sem noção de data, tempo e sentimentos.

Não sei o que escrever. Resolvi assumir, dessa vez não sei o que escrever. Não, antes de tudo quero dizer, não existe um culpado por isso. Simplesmente não (e que tanto de nãos hein?!) consigo expressar o que sinto agora... é que nesse pedaço de papel amarelo ficaria difícil de explicar tudo que tenho passado.

O motivo desta carta não ser datada ou até mesmo não ter um lugar de onde a envio é claro. Ontem morreu uma estrela. Era linda e tinha sardas no nariz. Em nenhum momento, durante a minha pequena existência, tinha visto uma chuva tão triste. O céu parecia chorar com a falta daquela que um dia fez tanta diferença entre as outras que ousam brilhar na escuridão.

Então eu, como um velho Souriant, ousei fazer aquilo que até mesmo as estrelas têm medo. Chorei, compulsivamente chorei. Simplesmente tentando libertar-me de sentimentos que almejavam uma vibração ruim. Aquilo que nos domina e nos arranha por dentro e fora. Senti como se tudo fosse parar. Senti como se fosse morrer.

As flores não cantavam cheiro. O arco-íris não mostrava cores. E eu, juro que vaguei por muito tempo confuso e solitário. Peço desculpas, e não gostaria de fazê-lo. Na verdade não queria ter que me desculpar, mas me sinto tão sozinho, preciso de você para conversar. Tenho uma história bem pequena... acho que devo algumas explicações.

Para isso peço que abra sua mente, aqueça o coração e atice a imaginação. Nas linhas pequeninas desse guardanapo relato minha história, um mísero trecho de uma vida que segue em caminhos errantes e fadados ao aprendizado. É como se eu descobrisse que no decorrer das coisas eu sempre quisera conhecer você.

PS.: Não jogue fora o que está no fundo do envelope. Nem tudo que parece feio é descartável aos olhos.

5 comentários:

Thá disse...

Que pena que a estrela morreu "/

mortes de estrelas devem ser mesmo tristes.. vc tem fé que um dia o céu escuro brilhará lindo novamente?


espero que sim!

Ana Lídia disse...

As estrelas, no fundo, têm o poder de brilhar até mesmo quando não as notamos ali.

Anônimo disse...

Que pena que vc tá triste...
Mas olha,quando uma estrela morre não deixa um vazio e sim um espaço para que possa brilhar outra...

monikekarol87 disse...

chuvas sempre parecem tristes...

carta comovente!

Anônimo disse...

as estrelas podem até morrer, como todas as coisas um dia tb irão, mas enquanto permanecer um risco de detalhe na lembrança de quem as viu brilhar, ela nunca deixará de ser uma estrela.