sábado, 5 de janeiro de 2008

Batem os sinos pequeninos - Meu segundo mês...

França, Tolouse - Dezembro de 2009

Minha paixão, como está? Parece uma pergunta da qual já posso saber a resposta. Claro que está super bem, com o tanto de pensamentos positivos que emano, não teria como ser de outra maneira. Já faz algum tempo que não escrevo, mas é porque realmente as viagens têm me cansado um pouco, por isso peço desculpas pelo suspense e pela demora.

Nesse momento estou sentado num banco, perto do rio Garonne. Alguns casais transformam a linda paisagem num momento íntimo e amoroso, e então não consigo parar de pensar em coisas boas. O sol e o clima da região são bem interessantes, diria perfeitos para uma tarde cheia de algodão-doce e algumas guloseimas que só nos deixariam mais felizes... Esse tal de açucar!

Faltam alguns dias para o Natal, quatro para ser exato, e imagino você aqui comigo. Esse céu tão simples e azul, atiça a minha imaginação junto com os desejos mais puros e brincalhões. A grama nunca foi tão verde como agora e as minhocas, nunca foram tão felizes. Esfrego meus pés na terra, e a sensação, ah... é uma sensação rosa, como a cor da maioria das casas da região.

Quero que me desculpe. Não sei como fui me apegar assim tão rápido. Confesso que não houve só um dia em que não guiasse as estrelas para escrever seu nome. Convenhamos, coisas tão boas não aparecem assim, do nada, ou caem do céu como você veio para mim. Pareço meloso? Mas não sou não... é só carinho, imagina.

As singelas luzes do parque são acessas aos poucos. Uma corrente de ar passa por mim agora carregando pensamentos solitários do velho mar. Faço de tudo para não me sentir sozinho, mesmo porque, dentro de mim só cabe você. Quase ia me esquecendo, ao ler esta carta, coloque a mão em seu coração e sinta aos pouquinhos o meu amor batendo em você.

PS.: Não resisti e comi o chocolate. Não teve jeito, ele olhou para mim com aquela feição carente... O que mais poderia ser feito?! Não teve outro jeito.
PS2.: Dentro do envelope como deve ter percebido, há uma estrela. Foi um velho Souriant (é como são chamados os caçadores de estrelas) que me deu... ele diz que podemos guardar os nossos melhores sentimentos e oferecer a uma pessoa querida. Ele ainda disse que as estrelas têm o poder de tornar realidade qualquer desejo puro... basta acreditar.

3 comentários:

Ana Lídia disse...

Um dos mais belos textos.

Ana Lídia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Lídia disse...

Sempre bom mudar realmente. Costumo fazer isso sempre. ;)
Isso reflete minha volubilidade? hehehehe
Na verdade, sem motivo aparente.