quarta-feira, 2 de abril de 2008

Minha estrelinha de algodão

Já posso imaginar. Seus dedos gordinhos apontam com dificuldades o céu, na pretensão de contar quantas estrelas anseiam por brilhar. Então, com um leve sorriso, daqueles que ficam no canto do rosto, começo a contar inúmeras histórias de reis, rainhas, príncipes, princesas e terras encantadas. E mesmo sem entender, você detém os pequenos olhos com bastante atenção.

Repararia em todas as nuances na tentativa de descobrir com quem se pareceria mais. O nariz, graças ao bom Deus (como diria sua mãe), seria paterno. O sorriso seria o da mãe. Alguma coisa viria dos avós. Nem tento imaginar de quem seria o "humor". De verdade mesmo esperaria que tivesse muita saúde independente da pessoa com quem se parecesse.

E antes mesmo de nascer, olha só como mudou a minha vida e a de sua mãe. Lembro do nosso ontem. Mal o ponteiro do relógio marcaram alguns segundos e já havíamos crescido. Passou de forma intimista aquela dúvida e angústia de nos tornamos responsáveis. Mil coisas vieram aos nossos pensamentos. Tomaram formas estranhas, algumas que nunca desejamos ou que esperamos. Tivemos que encarar, já não éramos mais crianças.

Então lidamos com situações novas. O corpo e a mente já não eram mais os mesmos. Até o coração não era aquele, tão infantil e ingênuo. O ousado tempo nos permitiu sentir uma liberdade no mínimo "estranha". E hoje temos a certeza que não somos mais crianças.

Sabe de uma coisa? Até que não é de todo mal. Podemos finalmente, sem vergonha nenhuma (tá certo, um pouquinho ainda fica), dizer que amamos de verdade! Sem pestanejar com medo da chacota ou curtições de nossos amigos. Tenho certeza que o que você mais ouvirá será: Eu te amo. Nunca vi tal coisa. Não tinha nem um centímetro direito e já babávamos por você.

Somos tão bobos quando se trata de você, que eu até converso com a barriga de sua mãe de um jeito que sentirá certa vergonha (alheia). Uma voz fininha como se falasse com animais de estimação, daqueles que temos como parte da família. É, eu gosto de você de verdade.

Já que não é mais segredo, na expectativa de eternizar meus sentimentos, digo ansiosamente que tenho toda alegria do mundo em meu coração só por saber que você está por vir. E que venha trazendo mais felicidades, não só para seus pais (que eu também gosto muito), mas para todos aqueles que estão ao seu redor.

Venha minha estrelinha, venha que estamos te esperando aqui do lado de fora.
Do padrinho mais babão do mundo.